O MAL-ESTAR NA SUBJETIVAÇÃO

Jean-Pierre Lebrun

Início
Apresentação


.......
Sumário
Apresentação
Mario Fleig

1. O mal-estar na subjetivação
Declínio do patriarcado
O que Auschwitz inscreve no inconsciente
O inconsciente é o social
O exemplo da paternidade genética
A utopia mortífera do fim do milênio
Uma crise da representância fálica
Um sujeito em experiência limite
Mal-estar na subjetivação
Uma degenerescência catastrófica
Do Nome-do-Pai aos Nomes-do-Pai
Dos Nomes-do-Pai aos Que-não-se-deixam-levar erram
Da promoção de um novo pacto social
Algumas consequências no tocante ao desejo do analista


2. Os paradoxos da parentalidade
Um termo a-histórico
Uma simetria forçada
Um retorno à Oréstia
Uma atualidade inédita
A dificuldade de crescer nos dias de hoje