A cultura dos superdotados?

Sob a direção de
Marika Bergès-Bounes
Sandrine Calmettes-Jean

Sumário

Apresentação do livro

 

Quarta-Capa

O montante de demandas de consulta pelo motivo “ele é superdotado?” só tem aumentado. Os clínicos, confrontados com as armadilhas dessa questão, têm por vezes dificuldade para manter seu olhar clínico frente a esta interrogação que implicitamente valida a existência desta pretendida nova nosografia. Mas o que esconde a atual inflação do significante superdotado? De onde vem esta afeição recorrente e obstinada ao valor da inteligência? Será, uma vez mais, um meio de elidir a questão do desejo e das teorias sexuais infantis? Não poderiamos temer que essas crianças, ao fazer essas economias, pagariam posterior e diversamente o preço, de acordo com o que lhes é pedido sustentar ou imitar como objeto para o olhar do ideal?

Esta obra se propõe examinar os encaminhamentos clínicos e terapêuticos em relação a esse significante “superdotado”, que tem a arte de parar o pensamento e provocar em cada um o sentimento de ser ejetado de seu lugar simbólico (pais, professores, profissionais, e, certamente, a criança em primeiro lugar). Será que, ao invés do significante “superdotado” em si, o que provoca este mal-estar não seria a maneira como atualmente ele é articulado e manipulado pelo social? Este livro mostra as tentativas de clínicos para restituir uma dinâmica a esse significante ditatorial.

Marika Bergès-Bounes, Sandrine Calmettes-Jean são psicanalistas em Paris e membros da Association lacanienne internationale.

Com a participação de: Anne Andronikof, Conceição Beltrão Fleig, Corinne Bernardeau, Jean Bergès, Geneviève Blaquière, Paule Cacciali, Dana Castro, Pierre-Christophe Catelineau, Daniel Charlemaine, Georges Cognet, Jean-Pierre Delaubier, Michele Dokhan, Marie-Alice Du Pasquier, Catherine Ferron, Mario Fleig, Jean-Marie Forget, Bernard Gibello, Christiane Gregorius, Christiane Lacôte, Gilles Lemmel, Evelyne Lenoble, Claire Meljac, Charles Melman, Anne-Marie Pecarelo, Roger Perron, Catherine Princelle, Michele Schaindt, Laurence Vaivre-Douret, Marie-Luce Verdier-Gibello, Denise Vincent, Hubert Vincent, Robert Voyazopoulos e a Unité de Psychopathologie de l´enfant et de l´adolescent do Hospital Sainte-Anne, Paris.